Search
Close this search box.

A24 planeja futuro com mais filmes comerciais

Estúdio que virou cult e ostenta relativos sucessos comerciais no terror e no cinema de autor mira fazer filmes mais comerciais no futuro próximo

Reinaldo Glioche

A A24 está se preparando para uma mudança significativa em sua estratégia de produção cinematográfica. Relatos recentes sugerem que o estúdio, avaliado em US$2,5 bilhões, está explorando o universo de “grandes projetos de propriedade intelectual” e adotando uma abordagem mais comercial, visando diversificar seu portfólio além de sua reputação estabelecida por filmes de arte.

De acordo com fontes internas citadas pelo The Wrap, executivos do setor reconhecem a necessidade de a A24 se voltar para empreendimentos comerciais. Para além dos dramas autorais, a A24 vai explorar lançamentos mais amplos e “abrir o leque”, indicando o desejo de atender a uma audiência mais ampla.

A possível incursão do estúdio em franquias estabelecidas, recentemente perdeu uma disputa intensa com a Miramax pelos direitos da franquia “Halloween”, gerou entusiasmo entre os fãs. Imaginar uma abordagem da A24 para uma sequência de Halloween, especialmente considerando o histórico do estúdio com filmes como “A Bruxa” e “Hereditário”, adiciona uma dimensão intrigante a essa transição.

A24

Apesar da mudança, a A24 permanece comprometida, pelo menos no discurso, com o cinema autoral, mas uma transição como essa nunca se dá nos termos imaginados. Principalmente pela pressão financeira inerente. Apesar de emplacar sucessos relativos, o estúdio perdeu dinheiro com alguns de seus lançamentos recentes como “Ondas”, “O Cavaleiro Verde” e “Beau tem Medo”. A leitura de insiders é de que, na atual configuração, o estúdio não encontraria interessados em uma aquisição. A mudança de rota se daria, portanto, para incrementar sua atratividade para uma eventual venda.

A decisão da A24 de explorar projetos mais convencionais e orientados comercialmente lembra as mudanças vistas em outras arthouses notáveis como Miramax, Annapurna, The Weinstein Company e Paramount Vantage. A mudança não é vista como um abandono de suas origens independentes, mas como um passo audacioso em direção ao crescimento e adaptação no cenário dinâmico da indústria cinematográfica.

Enquanto a A24 navega por essa transição, fãs e observadores da indústria aguardam com expectativa para ver como o estúdio mantém sua voz distinta ao se aventurar no universo do cinema comercial de grande orçamento.

Deixe um comentário

Posts Recentes