Search
Close this search box.

K-Pop impulsiona vendas de PMEs que focam em produtos do segmento

Levantamento inédito revela crescimento das vendas de produtos da cultura coreana em 37% no primeiro semestre deste ano

Redação Culturize-se

A cultura sul-coreana conquistou o mundo com uma febre global, onde filmes são laureados internacionalmente e artistas dominam as paradas musicais. O Brasil não fica atrás nessa tendência: somente em 2023, empreendedores online de pequeno e médio porte comercializaram cerca de 20 mil produtos desse segmento, representando um crescimento de 37% em relação ao mesmo período no ano anterior. Os dados são de um levantamento inédito da Nuvemshop, plataforma de criação de lojas virtuais, que evidencia o impacto da cultura sul-coreana no cenário comercial brasileiro.

Entre janeiro e julho de 2023, mais de 4,8 mil itens relacionados ao K-pop foram listados na plataforma, um aumento de 27% em comparação a 2022 (com 3,8 mil produtos). Os produtos mais proeminentes incluem itens colecionáveis, como bonecos, adesivos e álbuns/DVDs musicais, além de vestuário, como camisetas, moletons e saias.

O levantamento traz uma boa perspectiva do fenômeno K-pop no Brasil, que não dá sinais de esgotamento. Do interesse cada vez maior de plataformas de streaming como Netflix, HBO MAX e Star+ por doramas e séries sul-coreanas à popularidade de uma plataforma de streaming exclusiva de doramas do país, o Viki, a tendência ainda é de alta espantando as teorias de que se tratava de uma onda.

K-Pop
Foto: Reprodução/Internet

Babi Tonhela, especialista em e-commerce da Nuvemshop, atribui o crescimento nas vendas a um fenômeno cultural. “A disseminação da cultura coreana pelo mundo, impulsionada pela indústria do entretenimento, revelou-se uma força propulsora para os negócios online no Brasil. Com mais de 50 mil imigrantes sul-coreanos no país, de acordo com o Observatório das Migrações Internacionais, muitos empreendedores perceberam uma oportunidade de obter lucros significativos, mesmo em um nicho de mercado não tão óbvio”, ela explica.

Igor Azevedo é um desses empreendedores que vislumbrou tal oportunidade. Ele fundou a K-Line Store, uma loja online especializada em produtos relacionados ao gênero K-pop. Movido por seu apreço pela música, Igor transformou sua paixão em um empreendimento lucrativo em 2019. Apenas em 2023, sua loja alcançou um faturamento superior a R$ 1,6 milhão no comércio digital, sendo que mais de 59% dos pedidos foram feitos por clientes que já haviam comprado anteriormente.

“Como sou fã de diversos grupos de K-pop, tenho o hábito de consumir produtos relacionados para me sentir parte desse universo. É por isso que busco manter uma presença ativa e interagir com meus clientes para compreender suas necessidades e desejos. Ao longo dos anos, conseguimos construir uma comunidade com comunicação franca entre ambas as partes”.

Em paralelo, os shows de bandas de pop rock sul-coreanas estão cada vez mais frequentes no Brasil para além do eixo Rio-SP. Cidades como Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Brasília passaram a fazer parte do itinerário de 2Z, The Rose, entre outras.

São elementos que fazem do Dia Mundial do K-Pop, celebrado em 13 de agosto, mais do que uma data qualquer para fãs, algo culturalmente relevante.

Deixe um comentário

Posts Recentes