Search
Close this search box.

Katy Perry é a mais nova artista a vender os direitos de suas músicas

Cantora americana se junta a figuras como Bob Dylan e Justin Bieber que também já venderam seu catálogo de músicas. Tendência está em alta nos EUA e também no Brasil

Redação Culturize-se

A Litmus Music, uma empresa de direitos de catálogo apoiada pelo gigante de private-equity Carlyle Group LP, anunciou nesta segunda (18), que adquiriu os direitos dos cinco álbuns de estúdio de Katy Perry lançados pela Capitol Records, incluindo seu álbum indicado ao Grammy, “Teenage Dream”.

Katy Perry
Foto: Divulgação

Segundo fontes, a Litmus pagou US$ 225 milhões pela participação de Perry nos royalties das gravações master e nos direitos editoriais das suas cinco obras lançadas entre 2008 e 2020 – “One of the Boys”, “Teenage Dream”, “PRISM”, “Witness” e “Smile”.

A venda do catálogo de Perry segue outras negociações de direitos musicais de 2023, como a venda de Justin Bieber por US$ 200 milhões para a Hipgnosis Songs Capital, demonstrando que artistas de renome ainda podem obter valores significativos, mesmo com as taxas de juros elevadas moderando o interesse dos investidores pelos direitos de músicas.

No Brasil: Músico Jessé Aguiar vende royalties musicais para a Hurst Capital

Desde o seu single de sucesso “I Kissed A Girl” em julho de 2008 até as cinco músicas que lideraram as paradas do álbum Teenage Dream de 2010, Perry conquistou um total de nove números 1 na Billboard Hot 100. Durante uma era musical que viu grandes sucessos de outras cantoras pop como Lady Gaga, Beyoncé, Rihanna, Taylor Swift e Adele, Perry permanece como a primeira mulher e apenas o segundo artista (após Michael Jackson) a emplacar cinco músicas do mesmo álbum no topo da Hot 100. Essas músicas são “California Gurls”, “Firework”, “E.T.”, “Last Friday Night (T.G.I.F.)” e “Teenage Dream”.

Lançada em agosto de 2022 com um investimento de US$ 500 milhões da Global Credit Platform da Carlyle, a Litmus adquiriu os direitos editoriais e de gravação de artistas de diversos gêneros, incluindo as gravações master de Keith Urban e um pacote de direitos editoriais e de performance do super produtor Benny Blanco.

Hank Forsyth, co-fundador e CEO da Litmus, chamou as músicas “essenciais” de Perry de “parte do tecido cultural global”. “Estamos muito gratos por trabalhar novamente com um parceiro tão confiável”, disse Forsyth, um veterano da indústria anteriormente ligado à Warner Chappell e Blue Note.

Deixe um comentário

Posts Recentes