Search
Close this search box.

Festival Vórtice celebra a sexualidade na arte contemporânea

Redação Culturize-se

Philipp Anchieta, Andy’s Candies, 2024
Philipp Anchieta, Andy’s Candies, 2024 | Foto: Divulgação

O maior festival de sexualidade na arte contemporânea do Brasil, o Festival Vórtice, chega à sua terceira edição com uma programação intensa e diversificada. Criado em 2022 por Leonardo Maciel e Paulo Cibella, o evento acontece entre os dias 31 de maio e 30 de junho no Edifício Vera, no Centro Histórico de São Paulo, oferecendo uma plataforma legitimadora para artistas contemporâneos que trabalham com temas de sexualidade.

Um espaço para a arte provocativa

O Festival Vórtice se destaca por reunir uma produção pulsante e apresentar ao público uma seleção de aproximadamente 120 obras de 100 artistas brasileiros. Entre os participantes, nomes como Alex Flemming, André Brunharo, Bella Tozini e Hudinilson Jr. exibem pinturas, esculturas, fotografias, bordados, colagens, instalações, gravuras, desenhos digitais, publicações, objetos, videoartes e performances. As obras exploram temas como feminilidade e masculinidade, corpos dissidentes, identidade de gênero e fetiches, e podem ser adquiridas a partir de R$70,00.

O evento é realizado em um espaço de 195m², dividido em seis ambientes. Além das exposições, o Festival Vórtice promove diversas atividades paralelas, incluindo performances, cursos, oficinas e lives, proporcionando um ambiente de troca e diálogo sobre amor, desejo, sexualidade, prazer, sedução, erotismo e perversão. Paulo Cibella, diretor do Vórtice Cultural e um dos idealizadores do festival, ressalta a importância do evento:

“As exposições de arte no Brasil ainda são um pouco caretas se compararmos com outras metrópoles, como Berlim e Nova York. Então, tivemos a ideia de criar um festival de arte que pudesse desafiar as normas conservadoras, proporcionando uma plataforma inclusiva à expressão sexual e criativa. Reconhecendo a importância da arte erótica não apenas como uma forma de provocação, mas também como um questionamento às estruturas de poder há séculos, o evento se tornou um ato político!”

Durante o festival, um artista será premiado com R$1.000 pela Comissão Curatorial por melhor traduzir a essência do evento. Outro artista, escolhido pelo voto do público visitante, também receberá a mesma quantia. Este reconhecimento sublinha o compromisso do festival com a celebração do amor, da sexualidade e da liberdade artística, articulando diálogos sobre gêneros, corpos e identidade em uma comunidade diversificada e inclusiva.

Público Diversificado

Em apenas duas edições, o Festival Vórtice atraiu um público diversificado, incluindo artistas, colecionadores, agentes e amantes da arte, arquitetos, pesquisadores acadêmicos, médicos, ativistas de direitos humanos, membros da comunidade LGBT+ e pessoas interessadas em explorar a sexualidade de maneira aberta e inclusiva.

A programação completa e as informações sobre as inscrições são divulgadas semanalmente pelas redes sociais do Festival Vórtice, proporcionando ao público uma oportunidade única de imersão na arte erótica contemporânea e de participação em um evento que celebra a liberdade e a diversidade na arte.

Deixe um comentário

Posts Recentes