Xadrez vive popularidade inédita entre jovens

Redação Culturize-se | Fotos: Pixabay, Netflix e  Louis Vuitton

O boom de interesse pelo xadrez experimentado em 2020, no auge da pandemia, é atribuído à minissérie "O Gambito da Rainha", mas ele sozinho não explica o porquê adolescentes estão jogando mais xadrez em aplicativos em seus celulares mesmo em escolas. De acordo com o New York Times, o xadrez não havia alcançado esse nível de popularidade desde o Campeonato Mundial de Xadrez de 1972

Então há a crescente popularidade do xadrez no Twitch e no YouTube. O popular streamer Ludwig Ahgren organizou um evento de xadrez e boxe com um prêmio de 1,6 milhões de dólares que atingiu milhões de espectadores. O xadrez normal também é popular no Twitch. Times de esportes eletrônicos contrataram alguns jogadores de xadrez, como Hikaru Nakamura para a Misfits e Alexandra e Andrea Botez para a Envy.

No YouTube, Rozman tem 3,5 milhões de assinantes e seus vídeos frequentemente se tornam virais no TikTok. O aumento abrupto de popularidade fez com que o Chess.com, o aplicativo de xadrez mais popular, sofresse instabilidades, forçando a empresa a fazer significativas atualizações em seus servidores. Em janeiro, o Chess.com afirmou ter 10 milhões de membros ativos, e em abril atingiu cerca de 12 milhões por dia. Isso contrasta com a base de usuários antes da pandemia, que era de menos de 2 milhões de jogadores ativos.

São todas essas pequenas coisas e talvez algumas outras, como Lionel Messi e Cristiano Ronaldo jogando xadrez em uma campanha da Louis Vuitton para a Copa do Mundo de 2022 que criaram a tempestade perfeita do xadrez.  O conteúdo de xadrez, chamado #ChessTok, está criando seu próprio espaço no TikTok, levando-o para ainda mais pessoas.

Não há dados oficiais que correlacionem essa tendência vislumbrada nos EUA e na Europa aqui no Brasil.