Com o filme "Monica", já em cartaz nos EUA, a atriz trans Trace Lysette faz a transição para se assumir como protagonista. O filme, exibido em Veneza em 2022, está rendendo críticas elogiosas a atriz que surgiu na série "Transparent", do Amazon Prime Video

Nasce uma estrela

Nasce uma estrela

Redação Culturize-se | Fotos: Divulgação; Reprodução/NBC; Reprodução/Variety

O cineasta italiano Andrea Pallaoro enviou uma mensagem a Lysette para informar que o filme deles, "Monica", estrearia no Festival de Cinema de Veneza. "Sinceramente, eu sabia que era prestigioso, mas então comecei a pesquisar. E pensei: 'Ah, na verdade é o primeiro festival de cinema de todos'", ela conta ao site A.Frame. "Eu já vi a JLo e todas elas desembarcando do barco lá, e eu fiquei pensando: 'Ok! Talvez tenhamos um momento de barco também!'"

Lysette teve seu momento de barco, chegando ao Lido de táxi aquático e posando no píer para a sessão de fotos obrigatória à beira-mar. Ela caminhou pelo tapete vermelho no Palazzo del Cinema vestida de Valentino antes da estreia mundial de "Monica. Lysette fez sua primeira audição para o papel de Monica em 2017. Na época, ela ainda estava aparecendo em "Transparent", a série que lhe deu visibilidade, mas ainda não havia estrelado ao lado de Jennifer Lopez em "As Golpistas" quando recebeu o roteiro.

"Monica" foi concebido como o segundo filme na trilogia planejada por Pallaoro sobre personagens femininas, seguindo o filme estrelado por Charlotte Rampling, Hannah. O cineasta passou mais de um ano procurando por sua Monica antes de encontrar Lysette. "Eu sabia que escolher a pessoa que incorporaria essa personagem, que a daria vida, era a escolha mais significativa e consequente na produção deste filme", diz Pallaoro. "Quando conheci a Trace, algo muito instintivo aconteceu. Eu sabia que havia encontrado a pessoa com quem poderia embarcar nesta jornada, criativamente.

A Monica de Lysette é uma mulher trans que foi abandonada por sua família décadas atrás. Ao descobrir que sua mãe distante, Eugenia (Patricia Clarkson), está morrendo, Monica retorna à casa de sua infância pela primeira vez em anos. Ninguém contou a Eugenia que Monica é a filha que ela abandonou, e assim Monica assume o papel de cuidadora de sua mãe. Lentamente, as duas mulheres encontram o caminho de volta uma para a outra, em direção à aceitação e ao perdão.

Monica conseguiu distribuição através da IFC Films e estreou em alguns cinemas selecionados em 12 de maio, antes de se expandir. Seu lançamento coincide com um ponto crítico no movimento pelos direitos trans: um número recorde de projetos de lei anti-LGBTQ foram apresentados nas legislaturas estaduais somente este ano, muitos dos quais direcionados diretamente à comunidade trans.

"Todo esse ódio e legislação contra a comunidade trans que está acontecendo agora, e ter esse filme sendo lançado, quero dizer, é tão importante que as pessoas saiam e vejam esse filme. Espero que ele inicie conversas e leve a compreensão e compaixão. Essa é a minha maior esperança para este filme, criar algum tipo de mudança", disse a atriz.