Exposição na A7MA Galeria, em São Paulo, aborda dilemas espirituais e comportamentais dos novos tempos

Redação Culturizese-se | Fotos: Divulgação

Você já parou para pensar na história que cada objeto é capaz de nos contar? Os objetos desempenham um papel importante na narrativa de quem somos, ajudando a moldar nossa identidade e a influenciar nossa presença no mundo. Muitas vezes, eles são testemunhas das relações do nosso dia a dia e nos auxiliam a resgatar memórias repletas de afeto, crenças e paixões.

Foi a partir desse poder de representação dos objetos, especialmente dos símbolos religiosos, que Marcelo Santvs desenvolveu uma série de trabalhos para a exposição intitulada "O Hierofante", na galeria A7MA. Segundo o artista, a pintura é uma ferramenta de auto exploração, cada obra manifesta as infinitas facetas de si mesmo. O processo criativo respeita sua própria natureza, que é inconstante, impermanente, contraditória e volátil.

Com curadoria de Joana Stefanutto, a mostra apresenta uma coleção de obras, a maioria delas inéditas, criadas nos últimos quatro anos. São pinturas, objetos e uma instalação elaborada com suportes e materiais encontrados nos locais onde Santvs realiza suas pesquisas de campo: as ruas, antiquários, centros de reciclagem, cemitérios e terreiros. "Santvs trabalha com materiais descartados, que perderam sua utilidade, e é através da arte que ele ressignifica seu conceito", explica Joana.

Santvs acredita no poder transformador da arte através da subjetividade e da ação prática, com isso, ele e Joana propuseram uma co-curadoria com o projeto Comadre, que faz articulações entre o mercado da arte e organizações sem fins lucrativos. E em conjunto foram selecionadas 4 pinturas das quais 15% do valor serão revertidos para Comadre e para o Coletivo Feminista, instituição que oferece atendimento respeitoso à saúde e segurança da mulher, independente de gênero e orientação sexual e em todas as fases da vida.

A mostra fica em cartaz até 2 de julho na galeria localizada no bairro da Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. A entrada é franca e o horário de visitação é das 11h às 19h, de segunda à sábado.