TURISMO CULTURAL

SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS NO BRASIL

Quando se fala em turismo cultural no Brasil, geralmente são lugares que contam a história da colonização. Porém, o país conta com sítios arqueológicos que indicam a existência de vida pré-histórica por aqui. Assim como outros destinos do gênero na América Latina, como Machu Picchu, conheça os maiores sítios brasileiros.

Divulgação/Fundação Museu do Homem Americano

Parque Nacional Serra da Capivara (PI)

Divulgação/Fundação Museu do Homem Americano

O mais conhecido no país foi criado em 1979, conta com cerca de 130 mil hectares, e ocupa parte dos municípios de São Raimundo Nonato, João Costa, Brejo do Piauí e Coronel José Dias, no Piauí, sendo considerado o maior do continente americano. São 400 sítios com pinturas rupestres que podem ter até 50 mil anos, o registro mais antigo do continente. Para os visitantes, a entrada é pela cidade de São Raimundo Nonato e o acompanhamento de um guia é obrigatório. Além das trilhas, a região ainda conta com o Museu do Homem Americano.

Divulgação/Fundação Museu do Homem Americano

Parque Nacional Serra da Capivara (PI)

Parque Nacional do Catimbau (PE)

Divulgação/Fundação Museu do Homem Americano

No sertão pernambucano, fica o Vale do Catimbau, com pinturas rupestres e artefatos com pelo menos 6 mil anos. São mais de 40 sítios e mil cavernas, além de formações geológicas de mais de 100 milhões de anos. O destaque da região é a Pedra Furada, que estudiosos acreditam, era cercada pelo Oceano há milhares de anos. A chegada ao parque é pela cidade de Buíque, e quem se aventurar pela região vai apreciar uma das últimas áreas preservadas da caatinga.

Divulgação/Instagram @valedocatimbau_oficial

Parque Nacional do Catimbau (PE)

Parque Arqueológico do Solstício - Calçoene (AP)

Reprodução/Iphan

Próximo ao litoral norte do Amapá, em Calçoene, fica localizado um mistério arqueológico do país. Chamado de “Stonehenge brasileiro”, ele conta com uma única distribuição rochosa, similar a feita na Inglaterra. os pesquisadores, porém, ainda não sabem o objetivo dessa formação. Mas se tornou um atrativo para o Parque, que recebe escavações desde 2006. A teoria mais estudada é que foi erguido por indígenas a mais de 2 mil anos para servir como observatório astronômico.

Divulgação/Instagram @valedocatimbau_oficial

Parque Arqueológico do Solstício - Calçoene (AP)

Dentro da reserva Indígena São Marcos, no município de Pacaraima, está localizada esta pedra de mais de 35 metros de altura. Dentro, uma caverna inclui pinturas rupestres, cerâmicas e outros artefatos pré-históricos. O local não tem estrutura para visitação como os outros sítios, e há menos informação sobre a origem dos itens e inscrições encontrados, levando a criação de mitos, como o de que a pedra serve como um portal de entrada para El Dorado.

Reprodução/Wikipedia Commons

Pedra Pintada (RR)

Minas Gerais também concentra diversos sítios arqueológicos, incluindo o de Lapa do Santo, na cidade de Matozinhos. Estudada desde o final do século XIX, a caverna aponta para presença humana há 12 mil anos, e crânios encontrados no local se assemelham com a população de Luzia, o fóssil mais antigo encontrado na América do Sul. As escavações na região indicam não só que ali podem estar os primeiros americanos, como também que, há mais de 10 mil anos, eles já tinham estruturas sociais complexas.

Divulgação/USP

Lapa do Santo (MG)