Arte 132 inaugura duas exposições em julho

Em "Uma trajetória de sonhos, caos e fé", Claudino Nóbrega convida o espectador a descobrir o melhor ângulo para contemplar suas pinturas, produzidas na década de 80 e que trabalham a interação entre formas e cores. Já em "Síntese de forma", de Luiz 83, a letra é transformada metaforicamente em edificações e alegorias à figura humana, em diálogo com a arte urbana.

Redação Culturize-se

A Arte 132 Galeria, localizada no bairro de Moema, em São Paulo, inaugura neste sábado (8) duas exposições individuais muito recomendáveis. O período expositivo vigora até 5 de agosto e a entrada é gratuita.

O Violeiro, acrílica sobre lona, 1990, 64x55cm - ©Lalau Patay

Paisagem fugaz , acrílica sobre lona, 1988, 95x68cm - ©Lalau Patay

Claudino Nóbrega segue dois caminhos paralelos ao estabelecer a interação de cores, que exige um olhar de perto, e a interação de formas, que conduz a uma observação mais distante. Entre os dois, o olhar dança. Para Nóbrega, a individualidade de cada pessoa determina o ângulo ideal para contemplar suas obras. Ele provoca o espectador a questionar se a melhor visão de suas obras é de perto ou de longe, deixando a resposta a critério de cada olhar. A distância ideal está onde o olhar oscila entre forma e cor, afirma o artista catarinense.

Foto: Suzana Mendes

O espaço expositivo dedicado às 23 obras de Luiz 83 transporta o visitante para um universo que ressignifica os símbolos das metrópoles. As esculturas e desenhos demonstram que o artista paulistano se aproximou da arte inicialmente através da pichação, incorporando a pintura urbana lúdica e violenta para, posteriormente, expandir-se para suportes mais clássicos.

Foto: Suzana Mendes

As obras apresentadas na exposição "Síntese da forma" retomam a estilização característica da pichação, metaforicamente transformando as letras em imponentes edifícios e referências à figura humana. Segundo o crítico de arte Paulo Gallina, Luiz 83 comenta e transforma a metrópole por meio de suas pinturas e esculturas, realizando uma reflexão sobre o contemporâneo, a cidade e suas construções materiais e simbólicas.