10 reflexões do protagonista de "O Assassino"

O novo longa de David Fincher já está disponível na Netflix e tem Michael Fassbender como um matador de aluguel misantropo, mas com uma pegada filosófica

Redação Culturize-se | Fotos: Divulgação

1 - "Sobre aqueles que gostam de por sua fé na bondade inerente da humanidade, eu preciso perguntar:  baseado em que, exatamente?" 2 - "Atenha-se o plano. Antecipe. Não improvise. Não confie em ninguém. Lute as batalhas apenas que você é pago para lutar!"

3 -"É incrível o quão fisicamente exaustivo pode ser não fazer nada" 4 - "Considere-se sortudo se nossos caminhos jamais se cruzarem. Exceto pelo fato de que sorte não existe. Nem karma. Ou, infelizmente, justiça"

5 - ""Proíba a empatia. A empatia é uma fraqueza. Fraqueza é vulnerabilidade. 6 - "De alguma forma, os trabalhos destinados a abalar uma gaiola são sempre os mais tediosos. Na verdade, aprendi a apreciar trabalhos de proximidade. Acidentes planejados. Envenenamentos graduais. Qualquer coisa com um pouco de criatividade. Quando foi o meu último afogamento tranquilo e agradável?"

7 - ""Alguém nasce, vive sua vida e, eventualmente, alguém morre. Enquanto isso, 'Faze o que tu queres, há de ser tudo da lei', para citar... alguém. Não consigo lembrar quem."" 8 - ""São as horas ociosas que mais frequentemente levam um homem à ruína. Não é Dylan Thomas, mas deveria ser."

9 -"Paris desperta de maneira única em relação a qualquer outra cidade. Lentamente. Sem o rugido do diesel de Berlim ou Damasco. Ou o zumbido incessante de Tóquio." 10 - ""A vigilância é essencial. Mesmo a mente mais disciplinada pode ficar cansada. Impaciente. Apressada. Descuidada"